30 outubro 2011

Devil in the Details

Você tem histórias pra contar. Experiências de "vida"... Talvez não saiba o que é ficar sozinho, o que é estar sozinho, talvez não saiba o que é rejeição.
A rejeição tem uma cara feia dos diabos, é doença braba que sai largando marcas e quando você pensa que tá curado, se pega ouvindo uma canção, se pega lembrando, se pega sentindo...
Você não sabe o que é rejeição. Você só sabe o que é ter essa dúvida: tomei o atalho errado? E fica se sentindo culpado. It gets you down!
Mas quer saber, não dê ouvidos à dúvida, ela é perniciosa... Eu te asseguro:
Você fez uma excelente escolha ficando em cima do muro.
Cada um que carregue, agora, sua própria cruz de recordações: eu com minhas lembranças, você com suas canções. Vamos passear juntos, embalados por todas essas canções: elas são como esperanças, a gente se agarra à elas, para não morrermos afogados, numa praia qualquer.
Eu seguro sua mão e chego a esquecer o tempo que perdi, mas nesse momento, a canção chega ao fim.

2 Provocações:

Grigório Rocha disse...

Nós nunca sabemos o que cada um guarda em suas histórias, em suas recordações, na sua sua subjetividade, nem como cada um agrega valor às suas experiências. Muitas vezes temos impressões precipitadas sobre o outro e também muitas vezes interpretamos fatos através da ótica de nossa própria insegurança, pois muitas vezes uma canção pode ser apenas uma canção bem escrita, cuja emoção do ouvinte pode despertar sem precisar recorrer a experiências passadas. Ou não. Quem há de saber?

Delirium disse...

Quem há de saber, por exemplo, quem está aqui representado? Eis a delícia da ficção.

 
BlogBlogs.Com.Br