08 fevereiro 2012

Dois aniversários


Meu pai vive com a gente em um velho álbum de fotografias. Há muito tempo ele vive aqui como uma figura simbólica. A capa do álbum é verde-mar e várias pequenas embarcações coloridas estão sobre ela. A capa talvez fosse pouco importante se meu pai não tivesse morrido afogado na praia, dias antes de completar 23 anos. Curiosa ironia. De vez em quando recorro ao álbum só para ver o quanto meu irmão mais velho se parece com ele. Meu pai vive nos retalhos de velhas histórias que se ouve aqui e ali, nas velhas lembranças dos parentes. Um tio cardíaco lembrou, dia desses, sentado no sofá de nossa sala, o quanto meu pai era inteligente. Entendia de eletrônica e mecânica e fazia pinturas extraordinárias (sabe-se lá que sorte tiveram)... Pouco fiz parte de sua história. Meu pai morreu antes que eu completasse 1 ano de vida. Quando nasci ele disse a Loira que eu tinha mãos de pianista (curioso vaticínio já que sou pianista de teclas de computador e minha música é toda feita de palavras) e que meu irmão tinha mãos de mecânico (curioso vaticínio para quem é infinitamente mais inteligente do que eu poderia ser um dia). Já se passaram quase 26 anos e se estivesse entre nós, neste ano, meu pai completaria 50 anos. Ano após ano, meu pai faz dois aniversários.  

2 Provocações:

Musa disse...

Lindo!!!

KARLA JAGERSBACHER disse...

PERFEITO!!!!!!!!!!!!!!!!!!AMEI ....

 
BlogBlogs.Com.Br